sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Família reclama que recebe mais 'ar do que água' nos canos da Casan em Concórdia

Ouvir reclamações sobre a falta de água em Concórdia é normal. Os problemas no sistema da Casan, que abastece a cidade, são pauta na imprensa com frequência e temas de manifestações diárias dos moradores nas redes sociais. Mas pior do que ficar sem abastecimento, é constatar que o hidrômetro está "trabalhando" e o que estaria passando pelos canos, seria pouca água e muito ar. Esta é a situação de uma residência que fica na Rua Ari Maier, no Bairro Renascença, segundo uma família. 
A dona da casa Sirlei Machado procurou o Jornalismo da Aliança na quinta-feira, dia 03, para relatar o problema. Segundo ela, há vários meses a família percebe que "relógio" que mede a quantidade de água consumida, está "girando", porém, segundo ela e o filho, pelos canos também passa muito ar. "A gente já sofre com a falta de água e estamos com este problema. Tem ar nos canos e o hidrômetro gira. Nossa conta tem aumentado a cada mês", lamenta Sirlei. 
A proprietária da casa diz que no mês de abril a conta foi de R$ 364,00 e garante que não consumiu tanta água. "A média aqui ficava sempre entre R$ 42,00 e R$ 52,00 e depois que o problema do ar nos canos iniciou, foi sempre aumentando. Nunca gastei tanto e tive que pagar essa de R$ 364,00 para que não cortassem", reclama ela. 
Sirlei conta que já procurou a Casan para relatar a situação, mas o problema não foi resolvido. "Fui lá e eles me disseram que isso é vazamento de água. Mas não tem vazamento nenhum, eu já mandei verificar, inclusive fizemos reformas na casa e trocamos parte da instalação hidráulica", garante. "Nós filmamos o hidrômetro girando com ar na torneira, mostramos lá na Casan, mas mesmo assim insistem em dizer que o problema é na nossa casa. Não sei mais o que fazer e não sei até quando vamos conseguir pagar a fatura, que aumenta a cada mês", ressalta a proprietária. "Eles vieram apenas uma vez aqui e disseram que não encontraram nada de errado", conta indignada. 
  
O que diz a Casan:
A Rádio Aliança fez contato com a Casan. O gerente da Estatal em Concórdia, Gerson da Silva, explicou que a Casan e outras empresas que gerenciam sistemas de distribuição de água não reconhecem administrativamente o problema com ar. Segundo ele não há como controlar se o ar nos canos marcou ou desmarcou o consumo. Da Silva argumenta que em alguns casos já constatados, quando há ar nos canos, o hidrômetro pode estar "desmarcando" ao invés de marcando, ou seja, o "relógio" pode estar girando ao contrário. Ele também destaca que nem sempre a fatura alta é problema de vazamento, mas a Casan sugere que o cliente verifique. 
Ao ser consultado sobre a possibilidade de algum servidor ir até a casa verificar a situação, Gerson diz que basta que o cliente faça, na Casan, uma solicitação de "teste do hidrômetro". Segundo ele, ao apresentar a situação, um funcionário pode ir ao local verificar.
Fonte: Cristiano Mortari - Rádio Aliança

2 comentários:

  1. O pior e que se mandar esse fdp tomar no cu vai preso, por desacato. Brasil

    ResponderExcluir
  2. O pior e que se mandar esses fdp da casan, tomar no cu vai preso, por desacato. Brasil

    ResponderExcluir