terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Gerente da Celesc justifica falta de energia elétrica na região

As quedas na rede elétrica tem causado problemas na região. Vários moradores dos municípios de Capinzal, Ouro e Zortéa tem reclamado da situação. O caso mais recente ocorreu na região de Zortéa, que ficou seis horas sem energia elétrica, o problema foi resolvido por completo apenas na manhã desta segunda-feira (14). 
"Tivemos um defeito na rede que atende Zortéa, todo o interior do município e também uma parte de Campos Novos. Nossas equipes se deslocaram, mas não foi fácil encontrar o problema. Conseguimos fazer com que a cidade ficasse com energia até as 21h, mas uma grande quantidade de pessoas no interior ficou sem energia", conta o gerente da Celesc da unidade de Capinzal, Diogo Spadoto. 
De acordo com Spadoto, a partir das 6h da manhã desta segunda, duas equipes iniciaram os trabalhos para resolver o problema. Tratava-se de um galho de pinos que estava em cima da rede principal e em um lugar de difícil acesso. As equipes conseguiram corrigir a situação por volta de 10h15. 
Alguns problemas são identificados de forma automática, mas em outros casos é necessário percorrer o caminho para encontrar a causa da falta de energia. "Quando é um trecho grande o sistema já acusa de forma automática, não precisa ter a reclamação do consumidor. Infelizmente algumas situações precisamos ir a campo para resolver e isso acaba dificultando a solução", explica o gerente. 
A falta de roçadas e os temporais de verão podem ser prejudiciais em função da queda de galhos na rede elétrica."Estamos buscando novos recursos para montar mais equipes de roçadas. Como ficou muitos anos sem as roçadas, nossas equipes atendem todos os dias árvores caídas na rede. Os temporais de verão vem com fortes ventos que deixam muitas árvores caídas", coloca Spadoto. 
Em função do grande volume de chuvas e do nível de água das usinas, o bandeira tarifária pode ficar amarela ou verde. Devido as condições climáticas deste mês, a bandeira tarifária é verde em janeiro.
Fonte: Michel Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário