segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Policial Militar registra boletim de ocorrência por agressão em frente à sua casa (vídeo). Jovem diz que está sendo perseguido (atualização)

O policial militar Marcio Antônio Moreira Paz registrou um boletim de ocorrência por ameaças verbais e agressão acontecidas na tarde de domingo, dia 17.

Ele contou que atravessava a Avenida 18 de Fevereiro, em Piratuba, em frente a sua residência, quando um veículo Fiat Stilo, conduzido por Ricardo Allan Teixeira, parou repentinamente e o motorista passou a insultá-lo e fazer ameaças, dizendo “agora vamos resolver como homem, vou te arrebentar. Moreira você não aguenta”. O jovem teria partido para a luta corporal com o policial e os dois caíram no chão. Populares e familiares que estavam no local conseguiram separar os dois.

De acordo com o policial, Teixeira lhe proferiu um monte de ameaças, dizendo que “isso não havia acabado e que iria pegá-lo”. Quando a viatura de plantão chegou no local ele já havia ido embora. Mais cedo, de acordo com Moreira, o automóvel passou várias vezes em ruas ao redor de sua casa.

Moreira acredita que o fato esteja ligado há um acontecimento recente, em que o jovem foi detido por resistência à prisão e ameaças, inclusive de morte, em via pública. O fato aconteceu na madrugada do dia 22 de setembro. O Comando Geral já foi comunicado, acompanha a situação e está tomando as medidas cabíveis.

Ricardo Allan Teixeira entrou em contato com o Portal Magronada na tarde desta segunda-feira e contou a sua versão dos fatos.

“Estava indo em direção a minha casa depois de sair de uma festa de aniversário. Passei a lombada e percebi que ele estava ali e me encarando. Parei o carro e fui tirar satisfação. Começamos a discutir e ele me atirou três pedras e uma garrafa. Uma delas pegou na minha perna e outra nas costelas. Minha esposa tentou acalmar a situação, ele empurrou e machucou a boca dela, por isso parti para cima. Eu não comecei confusão nenhuma, só reagi”, contou.

Teixeira disse que está orientado pelo advogado e sua esposa vai registrar um boletim de ocorrência na delegacia de Capinzal na tarde desta segunda-feira. “O fato não aconteceu por causa da minha prisão de alguns dias atrás. Quem me conhece sabe que não aceito provocações de ninguém. Já falei em juízo e volto a afirmar que me considero vítima de perseguição. Sempre arrumam um motivo para parar o meu carro. Fui multado várias vezes. Moro em Capinzal e quando estou em Piratuba sempre ficam de olho em mim. Não sei por qual motivo”. 





Um comentário: