segunda-feira, 30 de março de 2020

Com faturamento reduzido, empresários estudam demissão de trabalhadores

Dispensa de funcionários é mais cogitada do que compensação de horas ou concessão de férias, segundo pesquisa

Com prorrogação do decreto, comércio deve ficar fechado por no mínimo 20 dias em SC
Uma pesquisa realizada com 200 empresários de Santa Catarina revelou que a demissão de funcionários é a principal alternativa entre aqueles que preveem ajustes em relação aos empregados. A dispensa é considerada por 55,9% deles.

Na sequência, estão a compensação de horas (47,1%), férias individuais (44,1%), redução da jornada com redução de salário (25,9%), e concessão de férias coletivas (24,7%). Dos 200 entrevistados, 85% prevê algum ajuste em relação aos empregados.

O principal motivo é a queda de faturamento. Entre eles, 93% registraram perdas, 6% relataram igualdade, e 1% cresceu as vendas. A redução média de faturamento foi de 51,1%. Além disso, 31,5% tiveram problemas de abastecimento.

Com a prorrogação do decreto promovida pelo governo do Estado, o comércio em geral de Santa Catarina deve ficar fechado por, no mínimo, 20 dias.

O estudo foi promovido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de SC (Fecomércio/SC) com empresas do atacado, varejo e do setor de serviços.

Segundo o presidente da entidade, Bruno Breithaupt, todas as áreas terão perdas profundas. "Com exceção das atividades essenciais, como supermercados e farmácias, os outros setores todos enfrentarão problemas sérios", disse. Ele apoia uma abertura mais célere da economia, com manutenção dos cuidados em saúde.

A pesquisa mostrou ainda que 48% dos entrevistados pararam completamente as atividades. Os outros 52% mantiveram canais de suporte por telefone, internet, tele-entregas e vendas online. A maioria tomou medidas como reforço nas condições de higiene e monitoramento de funcionários doentes.

Murici Balbinot/ RCN


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Procure sua notícia

Mais acessadas