quarta-feira, 11 de março de 2020

Vereadora Claudia sugere estudo para reduzir salário e diárias de vereadores de Piratuba

Usando a palavra livre na Câmara de Vereadores de Piratuba na terça-feira, dia 10, a vereadora Claudia Port Jung solicitou a assessoria da casa um estudo sobre a possibilidade de redução de valores do salário dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários.  Ela pede também que se mude a metodologia de pagamento de diárias para esses cargos.

Um vereador de Piratuba ganha por mês hoje R$ 4.092,00. Na proposta da vereadora, ele passaria a receber R$ 2.090,00. A diferença seria de R$ 2.002,00 por mês.

Em relação as diárias, de acordo com o portal da transparência, em 2019, os vereadores de Piratuba gastaram mais de R$ 135 mil, uma média de R$ 11.250,00 mensais. A única vereadora que não utilizou um único centavo em diárias foi a vereadora Claudia.

“O assunto está em evidência e diz respeito a nós. A população está acompanhando a situação e pede mudanças. Precisamos rever os valores dos salários dos vereadores, prefeito e vice e secretários. Por isso sugiro um estudo sobre essa situação. Da mesma forma a questão das diárias desses cargos. Que elas passem a ser igual à dos funcionários, que através de adiantamento, e não um valor fixo como é hoje”, registrou Claudia.

Entenda o que é diária e adiantamento

Diária é um valor fixo, estabelecido por lei, e quem recebe são os vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários (Ainda estamos aguardando esse documento para saber os valores exatos). A diária é calculada de acordo com o valor do salário e o local para qual o político viaja (Florianópolis, Brasília, Chapecó, por exemplo). O agente público fica com todo o valor, não sendo necessário devolver a diferença, se por acaso não for gasta. Eles precisam apenas comprovar, através de uma nota ou certificado de um curso, que estiveram em determinado local. Os deslocamentos de táxi e passagens aéreas não estão incluídos nas diárias, são pagas separadamente pelo poder público.

Adiantamento é um valor repassado aos funcionários públicos. Eles precisam prestar contas dos gastos através de notas fiscais e recibos, e são ressarcidos exatamente por esse valor gasto, não podendo ficar com a diferença. Por exemplo, se o funcionário X foi a Florianópolis num curso e pôs gasolina no veículo, ficou no hotel, pagou o curso, fez uma refeição na estrada, ele precisa apresentar nota disso tudo e vai receber exatamente o valor tirado nas notas.



2 comentários:

  1. PARABÉNS AMIGA , TODOS OS POLÍTICOS
    DEVERIAM PENSAR ASSIM E (AGIR) !!.

    ResponderExcluir
  2. Muito bem vereadora Cláudia,ensejos de que possas contar com o bom senso dos componentes do Poder Legislativo e o povo que faça valer o seu poder de decisão.Precisamos urgentemente diminuir a carga que o povo carrega nas costas.

    ResponderExcluir