quarta-feira, 22 de julho de 2020

Regional de Saúde do Meio-Oeste que englobam AMPLASC e AMMOC entra em nível gravíssimo por causa do Covid-19

A graduação de risco da contaminação para as regiões de Santa Catarina, divulgada semanalmente pelo Governo do Estado aponta que a região da AMPLASC entra em situação crítica passando do patamar de grave (laranja) para gravíssimo (vermelho) por causa do Covid-19.

Os dados atualizados nesta terça-feira (21) pela Secretaria de Estado da Saúde levam em consideração o número de casos, mortes, taxa de isolamento e ocupação de leitos em hospitais.

Pelo mapeamento em saúde definida pelo Governo do Estado, a AMPLASC foi incluída na região do Meio-Oeste.

A ferramenta de gestão da saúde foi criada em março por meio do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) para enfrentamento do coronavírus em Santa Catarina. O grupo de trabalho está sediado no Centro Integrado de Gestão de Riscos e Desastres (Cigerd), na Defesa Civil, em Florianópolis e faz o mapeamento das áreas de risco, além de elaborar planos de preparação e resposta ao coronavírus no Estado.

O COES recomenda que os municípios aprimorem a fiscalização de estabelecimentos para adequação sanitária e implementem ações de restrição que impactem efetivamente na movimentação de pessoas na sua região.

Os dados ainda auxiliam os municípios para a tomada de decisões regionalizadas.

Com a mudança do patamar das regiões da AMPLASC e AMMOC novas ações deverão ser tomadas pelos prefeitos e secretários de saúde pela Comissão Intergestores Regional (CIR) regional Meio-Oeste e apoio do Governo do Estado.

Pela atualização do risco potencial das regiões do estado do dia 14 julho para a avaliação realizada ontem (21) três regiões foram reclassificadas do Risco Grave para Gravíssimo, e duas reduziram do Risco Gravíssimo para Grave, no entanto, ainda com eminência de retorno à classificação anterior.

Fonte: Assessoria de Comunicação da AMPLASC


Nenhum comentário:

Postar um comentário