sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Entrevista com Thiago Pacheco dos Santos, candidato a vice-prefeito de Piratuba

 1 - No seu ponto de vista, como o vice-prefeito deve atuar na administração?

O vice-prefeito deve ser presente, e é assim que pretendo ser. Vou auxiliar o nosso prefeito Fontanella em todas as tarefas e atividades. É nosso dever trabalhar pelo povo e para o povo, e assim faremos. Juntos vamos traçar os caminhos e batalhar para oferecer o melhor para a nossa cidade e para os nossos cidadãos. Serei o segundo em exercício no cargo do Executivo municipal e é meu dever representar a altura, ser atuante e lutar pelos anseios do povo. É o mínimo que se espera de um vice-prefeito.


2 - O que pode ser melhorado no município?

Em todas as áreas sempre há o que melhorar. O que está pendente precisa ser resolvido, o que está indo mal precisa ser ajustado. O que está indo bem pode ainda receber melhorias. Cada área será analisada e ajustada de acordo com a necessidade. Para isso, ouviremos as pessoas que atuam diretamente em cada área, buscaremos auxílio de pessoas capacitadas e contribuições de diversos meios.


3 - O que pode ser mantido?

O que funciona e está trazendo resultados, com toda certeza será mantido. Nossa cidade possui inúmeros pontos e colaboradores que considero motivo de orgulho, muitas áreas dão exemplo de rendimento e eficiência. Essas áreas serão utilizadas como modelo de trabalho e gestão. O setor da Educação é um exemplo. Os investimentos feitos nos anos do Adélio e Dorini, na estrutura física das escolas e profissional, na formação dos professores, continuam rendendo ótimos resultados. O IDEB comprovou isso.


4 - Há um setor que o senhor pretende dar mais atenção, caso eleito?

Certamente alguns setores precisarão de uma atenção maior. Nenhum setor vai ficar desamparado ou desassistido. Trataremos todas as áreas com a devida importância e com total comprometimento. Porém, duas áreas nos preocupam bastante, a agricultura e o turismo/comércio. A agricultura por essa questão da estiagem prolongada e o turismo/comércio por causa da pandemia. Vamos começar uma retomada apenas em 2021, com planejamento, quando estaremos no governo. Até lá, será preocupante. Essa questão do turismo é muito grave. Nas visitas que estamos fazendo ao setor, as quais vamos intensificar nos próximos dias, é possível ver o desespero das pessoas. É lamentável que num momento tão difícil desses, não haja nenhum planejamento e investimento na divulgação de nossa cidade. Há coisas que teremos que começar do zero! Projetos que há anos estavam em crescimento pararam.


5 - Como você pretende colaborar com o prefeito?

Vou estar ao lado do prefeito em todas as situações, vamos formar uma equipe que trabalha em união. Eu e cada um de nós, vamos colaborar com o prefeito, porque, na verdade, não estaremos trabalhando para uma pessoa, estaremos trabalhando pelo nosso município. Vamos despertar em cada cidadão esse espírito de amor, união e trabalho em equipe em prol da nossa comunidade, da nossa cidade. Todos somos responsáveis pela evolução que tanto buscamos.


6 - Porque o eleitor deve escolher você e seu candidato a prefeito?

Porque temos excelentes propostas, faremos uma gestão honesta e estratégica. Porque conhecemos o nosso município e sabemos onde ele pode e deve chegar. Em nosso Plano de Governo, apresentamos aquilo que queremos por Piratuba, mas tenho certeza que nossa dupla, Fontanella e Thiago, irá além dessas propostas. O eleitor não se deixa mais enganar com facilidade como se fazia há alguns anos. Hoje eles têm acesso à informação e tomam as decisões com base no conhecimento.


7 - Vivemos um momento de pandemia. Como você avalia trabalho feito pela atual gestão em relação a isso?

Nosso cidadão está desassistido. Nossos comerciantes estão desamparados. A atual gestão não está auxiliando da maneira que pode e deveria. O descaso é nítido e infelizmente estamos pagando um preço muito alto. Os meses sem trabalhar já causaram muitos prejuízos, e saber que não existe nenhuma perspectiva de retomada nos entristece. Para a saúde vieram mais de R$ 500 mil, isso é muito dinheiro. O que foi feito? Mas quero deixar aqui registrado: nossos funcionários da saúde e do hospital nos deixam muito orgulhosos. Mesmo sem um planejamento da atual administração, eles deram e dão conta do recado, são eficientes. E nosso bom Deus está agindo. Essa pandemia vai passar.


8 - Se sua dupla não for eleita, o que espera do prefeito e vice que assumirem a Prefeitura?

Que olhem pelo piratubense e façam as coisas com transparência e respeito pelo povo. Administrar não se resume em fazer pequenas obras e asfaltos. O prefeito e o vice precisam ter estratégias, gestão e representatividade. Eles precisam sair na rua, visitar as pessoas, conversar com os comerciantes, conversar com os agricultores, entender como cada setor funciona na prática e não ficar sentados numa cadeira dando ordens o dia todo. Precisamos de uma administração que se orgulhe desta marca chamada "Piratuba", temos capacidade para isso, nossa cidade pode, precisa e merece mudar.


9 - Caso eleito, pretende acompanhar todas as ações da Prefeitura, ou acredita que é mais importante dividir ações com o prefeito?

Vamos atuar em conjunto e isso acertamos no momento em que decidimos pelo projeto Piratuba "Prontos para um novo tempo". Teremos apoio e assistência de equipes qualificadas para cada área. Estaremos acompanhando, auxiliando e tomando decisões todos os dias. Tenho dito na nossa campanha e quero que me cobrem depois. É minha meta visitar todas as propriedades do nosso município nestes quatro anos. O vice-prefeito pode fazer isso, basta ter vontade. É importante ouvir nosso agricultor. Há muitas ideias e projetos excelentes que podem ser colocados em prática.


10 - Qual sua primeira ação como vice-prefeito, caso seja eleito?

O agradecimento pelo apoio e pela confiança certamente será meu início nessa jornada. Importa é o que eu vou fazer durante esses quatro anos de mandato, que com certeza vão ficar marcados na história e no coração de cada piratubense. Minha jornada vai ser trilhada por muito trabalho e dedicação, garra e comprometimento. Como eu já disse, há setores que teremos que iniciar do zero e isso vai dar trabalho. Temos ainda essa questão da pandemia que exige dedicação dos gestores em tempo integral, que há cada dia se faz um novo capítulo. Porém, temos que estar preparados e organizados. Não dá para acordar de manhã e só então decidir o que fazer.


Jornal Comunidade




Nenhum comentário:

Postar um comentário